a

 

 

História

Como boa parte dos brasileiros, ela também não conhece muito o conjunto de leis que rege o país. Entretanto, Magna Aguiar dos Santos bem sabe por que foi registrada com esse nome. Ela nasceu às 15h20 do dia 5 de outubro de 1988, enquanto a Carta Magna estava sendo promulgada no Congresso Nacional. Após uma semana de apuração, a Agência Senado conseguiu entrar em contato com a moça que, assim como a Constituição federal, também completou 20 anos no último domingo (5).

Magna nasceu a poucos quilômetros do Congresso Nacional, no Hospital Regional da Asa Norte, em Brasília. A família deixou a capital federal quando a menina tinha apenas um ano e meio. Depois de 16 anos morando na cidade, os pais resolveram voltar para o estado de origem, o Maranhão. Desde então, Magna vive com os pais e o irmão mais velho, Ronaldo Aguiar dos Santos, em São Luís.

- A gente tinha muita vontade de montar o nosso próprio negócio. Em Brasília, nós trabalhávamos de empregados, eu e meu marido. Aí nós viemos para cá -, explica a mãe de Magna, Raimunda Aguiar Jafár, que, atualmente, é dona da Churrascaria Jafár, no bairro de Pedrinhas, na capital maranhense.

Raimunda Jafár acabou se envolvendo com a política. Em 2004, a mãe de Magna foi candidata a vereadora, em São Luís, pelo Partido Trabalhista Cristão (PTC), mas não foi eleita.

- O meu bairro precisava de um representante político. Eu me candidatei, mas tinha um contrato na Vale do Rio Doce e não podia largar o meu trabalho. Não consegui me eleger porque não trabalhei para isso - conta Raimunda Jafár.

Faltavam apenas dois dias para Magna completar 16 anos e poder votar naquela época, em 3 de outubro de 2004. Mas, nas eleições nacionais, dois anos depois, Magna foi às urnas, quatro dias antes de completar 18 anos, em 1º de outubro de 2006. Nas últimas eleições municipais, ocorridas justamente na data de seu aniversário, ela não votou, mas justificou a ausência.

Embora Magna admita não conhecer muito a Constituição que acabou definindo seu nome, ela é categórica quando aponta do que o Brasil precisa para melhorar:

- Acho que menos corrupção, né? Aliás, não ter corrupção; não ter violência. Os candidatos não estão fazendo a coisa certa.

Em relação ao futuro, a jovem quer estudar Engenharia de Produção ou Administração. Ela ainda está terminando o ensino médio devido a problemas de saúde que a impediram de estudar por dois anos. Para os próximos 20 anos, Magna deseja estar formada e morar fora de São Luís.

Desde que partiu para o Maranhão, a família nunca mais voltou a Brasília. Como era muito pequena, Magna não se recorda da cidade natal, mas tem planos de visitá-la.

- Pretendo voltar porque eu tenho que me batizar em breve, daqui pro final do ano - revela a moça, referindo-se ao sonho de sua mãe de batizá-la na Catedral de Brasília.

Na última sexta-feira (3), a Agência Senado contou a história do bebê nascido em um momento tão importante para o Brasil. Nesta semana, a Agência Senado conseguiu, finalmente, estabelecer contato com a personagem. Foram aproximadamente 20 minutos de conversa, por telefone, com Magna e sua mãe, Raimunda Jafár. Vinte minutos esses que não resumem 20 anos de história.

Copyright (c)2008 Constituição Cidadã - Todos os Direitos Reservados para Ailson Alcântara Silva
www.000webhost.com